Conheça os quesitos julgados no carnaval de SP

Tem início na noite desta sexta-feira (17) o carnaval da cidade de São Paulo. Considerado um dos melhores do país juntamente com o carnaval carioca, o carnaval paulistano tem muitas regras que não são conhecidas por grande parte das pessoas que não tem o costume de acompanhar os desfiles e até por quem desfila por alguma agremiação.

Em São Paulo, 14 escolas de samba fazem parte do grupo especial, uma espécie de 1ª divisão e elas desfilam durante dois dias (sete por noite), sempre as sextas e sábados de carnaval.

Existem regras que devem ser respeitadas por todas as escolas e caso alguma não cumpra a perda de pontos é inevitável. O tempo de desfile para cada escola é de 55 a 65 minutos. O número de componentes também é obrigatório (2.000 cada escola). A ala das baianas, uma das mais tradicionais de uma escola de samba deverá contar com no mínimo 50 baianas. O número de carros alegóricos também está na lista de regras, são cinco carros por escola, nem mais nem menos. E a comissão de frente deverá contar com no mínimo 6 e no máximo 15 componentes.

Conheça os quesitos julgados no carnaval de São Paulo
Comissão de Frente é um dos primeiros quesitos julgados

A apuração da campeã do carnaval de São Paulo é realizada na tarde de terça-feira e para sabermos qual escola levantará o caneco, nove quesitos são julgados. Em cada quesito existem três julgadores. Dentre os três julgadores, no dia da apuração a menor nota é descartada, ou seja, se uma escola receber as notas 10 de dois jurados e um 9,5 de outro jurado ela continua com a nota máxima porque a nota 9,5 será descartada.

Neste ano as notas serão avaliadas de 8 a 10 e em escalas decimais, quer dizer, um jurado pode dar a nota 9,9 ou 9,8, por exemplo.

Entenda um pouco mais de cada quesito que será julgado:

Alegoria

Qualquer elemento cenográfico que esteja sobre rodas. Os destaques são complementos. Criatividade, cuidados na confecção e adequação ao enredo são avaliados.

Fantasia

Todas as fantasias são avaliadas, com exceção das do casal de mestre-sala e porta-bandeira, comissão de frente e de quem estiver nos carros alegóricos. As fantasias são julgadas em seu total (incluindo os adereços de mão), nos detalhes (acabamentos e cuidados de confecção) e se estão adequadas ao enredo.

Harmonia

Entrosamento entre o ritmo da bateria e o canto dos integrantes da agremiação.

Evolução

É o movimento rítmico e contínuo dos sambistas, que precisam evitar espaços vazios e correria ou retrocesso das alas. A bateria, o casal de mestre-sala e porta-bandeira, a ala dos compositores e os diretores de harmonia podem se deslocar livremente. Também é avaliada a animação.

Enredo

Tema escolhido pela escola. A avaliação considera se ele está sendo demonstrado corretamente no decorrer do desfile. São avaliados a riqueza de elementos, o roteiro e entendimento do tema.

Bateria

É julgada pela sustentação da cadência em consonância com o samba, criatividade e versatilidade. Não é levada em consideração a quantidade de componentes nem a fantasia dos ritmistas.

Samba-Enredo

A letra e a melodia são avaliadas pelos jurados. É preciso considerar a adequação da letra ao enredo, sua riqueza poética, bom gosto e adequação à melodia. Tem de facilitar o canto e a dança dos desfilantes.

Comissão de Frente

É o primeiro grupo a entrar. Apresenta a escola e saúda o público. Além da fantasia adequada ao enredo, a avaliação também considera o uso de adereços, tripés ou quadripés. É preciso coordenação, sintonia e criatividade.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Apresentam o pavilhão da escola. O casal deve executar bailado próprio no ritmo do samba. A porta-bandeira não pode deixar o pavilhão cair, enrolar no seu corpo ou no mastro e bater no rosto do mestre-sala. Ele não pode colocar o joelho ou a mão no chão, não pode tocar o pavilhão com movimentos bruscos e não pode falar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *