Beleza e Saúde

Dor no pescoço pode estar associada a estresse

Envie por e-mail

Se você sofre, assim como eu, com dores constantes na região do pescoço, recomendo a leitura desta matéria. Segundo especialistas, esse tipo de dor tem ligação com o sistema nervoso, e o vilão dessa história pode ser o estresse.

Confira na íntegra:

Depois da dor nas costas, a dor no pescoço é a campeã de afastamentos e licenças médicas. Norte-americanos diagnosticados com dor crônica, por exemplo, têm direito à diminuição de certas atividades e exigência de acomodação apropriada no ambiente de trabalho. De acordo com o médico ortopedista Gilberto Anauate, do Hospital Santa Paula (SP), o problema não tem como causa apenas a má postura – pode ter um fundo emocional também.

“A cervicalgia, ou dor no pescoço, não pode ser associada única e exclusivamente a um problema postural, como muitos imaginam. Por apresentar grande mobilidade em relação ao restante da coluna, a região cervical está mais sujeita a dores e contraturas musculares devido à friagem e, principalmente, episódios de alta tensão psicológica”, diz Anauate.

Estresse

De acordo com o ortopedista, o estresse é o grande vilão da cervicalgia em grande parte dos casos. “Os músculos localizados atrás do pescoço têm de estar sempre tensos para suportar a parte de cima do corpo. Mas, quando eles trabalham além da conta, sofrendo contrações constantes de fundo nervoso, a dor é inevitável. Inclusive, pode ser irradiada para os ombros ou ainda resultar em dor de cabeça”.

Depois de um diagnóstico preciso, em que se detecta a origem da dor, Anauate orienta o paciente a buscar ajuda especializada. “Constantemente surgem recursos terapêuticos que podem amenizar o problema. O paciente poderá ser orientado tanto a fazer um tratamento à base de anti-inflamatórios e relaxantes musculares, até a buscar terapias complementares, como a acupuntura. O ideal é que seja feita uma investigação personalizada”.

Não se acostume

Gilberto Anauate faz um último alerta: “Ninguém deve se acostumar com a dor. Se o mal estar começar a incomodar os braços, ou se o paciente começar a sentir ‘pinçadas’ no pescoço, é necessário uma investigação diagnóstica mais detalhada”.

Sete dicas para driblar a dor no pescoço

  • Evite tomar friagem e esteja sempre bem agasalhado.
  • Quem trabalha o dia inteiro diante do computador deve fazer pausas para movimentar ombros e pescoço lentamente, por alguns minutos, a cada duas horas. Esse hábito costuma aliviar a tensão acumulada ao longo do dia.
  • Quem se desloca de carro o dia inteiro à trabalho deve usar um encosto de cabeça devidamente ajustado ao corpo, mantendo os braços esticados e as mãos firmes no volante.
  • Massagens suaves com óleos aromáticos ou anti-inflamatórios em gel ou creme também contribuem para aliviar a dor.
  • Quem se dedica aos serviços domésticos deve se acostumar com novos hábitos na hora de se abaixar ou de suspender objetos. É importante usar mais a força das pernas para abaixar ou se levantar.
  • Busque atividades de relaxamento para a mente e o corpo. Isso inclui terapias alternativas, cursos de artesanato, ou simplesmente se dar ao luxo de descansar mais.
  • Escolha um travesseiro nem muito fino, nem muito grosso. O ideal é que ele se encaixe direitinho entre a extremidade do ombro e o início do pescoço.

[ + ] Fonte: Yahoo Notícias

Envie por e-mail
_ GIF Calados Femininos 300X250

4 thoughts on “Dor no pescoço pode estar associada a estresse

  1. Eu jamais imagina antes de ler estas explicações, que um poblema de alta tenção psicologica seria capaz de causar tamanho dano…

    estou com meu pescoço completamente mobilizado por motivo de ter passado um nervoso muito imenso ontem, fui procurar um porque encontrei esta materia e é a mais pura verdade! gostei muito das ionformações…

  2. gostei muito de sua matéria, me deixou aliviada e as dicas me fizeram refletir e perceber que pode ser muito fácil acabar com essas dores incomodas…..

  3. Vale um alerta. Os motoristas não devem dirigir de braços esticados! Segundo especialistas em segurança, este hábito pode comprometer o movimento dos braços do motorista numa hora crítica. O ideal é que os braços fiquem um pouco flexionados. Particularmente, acredito que um ângulo de 150, 155º seria correto.

    No mais, era isto.

    Obrigado pelo artigo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios (*)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>