Prorrogada a redução de IPI para eletrodomésticos

O governo prorrogou a redução de impostos para a compra de geladeiras, fogões e máquinas de lavar. Mas agora condicionou o desconto à economia de energia.

“Nós achamos que a volta do IPI poderia trazer uma queda de vendas e de produção agora, nesse momento, portanto nós resolvemos prorrogar essa medida até janeiro do ano que vem quando eu espero que já haja uma reação definitiva”, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

E a regra mudou. Agora, o desconto vai ser maior para os produtos mais econômicos, aqueles que têm o selo com a letra “A”, indicando que consomem menos energia elétrica.

Para geladeiras, a alíquota de IPI é de 5% para as que têm selo “A”; 10% para selo “B”; e 15% para as outras. Para máquinas de lavar, alíquotas são de IPI de 10% a 20%.

Para fogões, IPI de 2% a 4%. A alíquota zero fica só para os tanquinhos com selo A. Os de selo B passam a pagar 5% de IPI. Os outros, 10%.

Pode ser a chance de quem ainda lava roupa na mão. Segundo dados do próprio governo, 60% da população ainda não tem máquina de lavar. Com o aumento nas vendas, a indústria se comprometeu a manter o nível de emprego. E o comércio prometeu novas contratações.

“Nós temos um compromisso, fizemos uma reunião junto, de contratar de 10% a 15% do nosso quadro para novembro e dezembro. Dá oportunidade aos que estão sem emprego para, a partir de janeiro, se efetivarem”, explicou Luiza Trajano, da Associação do Desenvolvimento do Varejo.

[ + ] Fonte: Jornal Nacional

1 pensamento em “Prorrogada a redução de IPI para eletrodomésticos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *